quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Toda crise é uma oportunidade


George era um cara determinado. Depois de estudar no exterior, ele retornou para a França com um objetivo: ser artista. Mas o George era também parte de uma família rica, dona de uma fábrica de sapatos em Paris. E o pai dele não ficou nada contente com os desejos do filho sonhador, que foi forçado a abandonar seus objetivos e trabalhar no negócio da família.

Até que o pai do George se aposentou e ele pode vender sua parte nos negócios para os irmãos. Com o dinheiro da venda, George comprou um Teatro, batizado de Théâtre Robert-Houdin. O nome homenageava o mais importante mágico francês do século 19. Ahh, isso é importante: o George era fascinado por mágica e ilusionismo. Os espetáculos do Teatro dele eram sempre cheios de truques e logo conquistaram o público. Perto de completar 30 anos, George era, finalmente, bem sucedido na área que ele tinha escolhido amar.


Até que uma nova mágica tomou conta da praça. Dois irmãos, Auguste e Louis Jean, apresentaram ao mundo o cinematógrafo, uma espécie de antepassado das câmeras de vídeo. Era o fim do século 19. Auguste e Louis percorreram a Europa mostrando seu trabalho, capaz de capturar movimento. E, claro, capturando dinheiro da plateia. Não faltou quem topasse pagar o ingresso, que custava 1 franco. Entre eles estava o George, que viu no negócio dos irmãos Lumière uma oportunidade e uma ameaça.

A ameaça era óbvia: o ilusionismo mais quente do momento era feito com uma câmera, ou melhor, com um cinematógrafo. E esse novo espetáculo formava filas na porta de onde era exibido. Um dos primeiros filmes dos irmãos Lumière durava apenas 50 segundos e mostrava um trem chegando numa estação. A imagem, por mais que fosse banal, causou uma grande confusão, gerando correria na plateia, que fugiu do local achando que o trem sairia da tela e invadiria o mundo real.

Como um mágico poderia competir com uma ilusão tão poderosa, capaz de fazer pessoas correrem de medo – e depois correrem de volta para a sala de exibição, prontas para gastar mais dinheiro? Simples: O George tentou comprar o tal do cinematógrafo por 10 mil francos, oferta que foi recusada pelos irmãos Lumière.

Esse foi o momento decisivo da vida do George. Ele poderia ter desistido. Poderia aceitar a concorrência com o espetáculo dos irmãos Lumière. Poderia ter voltado a fazer o que ele fazia há anos – e que dava certo. Mas, ao perceber que o mundo estava mudando, ele preferiu apostar tudo que tinha e ser um dos motores de mudança. O George, que na realidade se chamava Georges Méliès, muito prazer, viajou o mundo, pesquisou bastante e por fim conseguiu ter seu próprio cinematógrafo.

Mas, ao contrário dos irmãos Lumière, que usavam o equipamento para filmar coisas banais, do dia a dia, o George resolveu contratar artistas, criar cenários, bolar roteiros e usar um monte de efeitos especiais. Assim nasceu o cinema, com a ajudinha de um mágico.

Tempos de crise

Crise. Essa foi a palavra de ordem em 2015, um ano de crise política, econômica e na vida de muitas pessoas. 2016 entrou e, claro, a crise não acabou, como se a virada de ano fosse um passe de mágica do Georges Méliès. Continuam os problemas, desafios, dores e, o mais importante deste cenário, as oportunidades.

Ninguém explicou isso melhor que John Kennedy, presidente dos Estados Unidos na década de 60. Em um de seus mais famosos discursos, que foi copiado inúmeras vezes por outros políticos, escritores de autoajuda e palestrantes motivacionais, ele disse: “Quando escrita em chinês, a palavra ‘crise’ é composta de dois caracteres. Um representa o perigo da situação. O outro representa a oportunidade”.

Segundo especialistas, o próprio Kennedy se aproveitou de uma oportunidade, o fato de norte-americanos não falarem chinês – a história da palavra crise em chinês é mentira. Mas o objetivo por trás dela, que é incentivar as pessoas a tomarem uma ação justo no momento de maior necessidade, não é.

O (péssimo) exemplo da Kodak

A sede da Kodak, nos Estados Unidos, chegou a ter 220 prédios e foi o maior complexo industrial do hemisfério ocidental. Durante décadas, pensar em fotografia era pensar na Kodak. O que poderia atrapalhar os planos de uma empresa centenária e multinacional? A crise.

Que, no caso da Kodak, atendeu pelo nome de câmera digital. O principal negócio da Kodak eram os filmes usados nas câmeras analógicas. Durante a década de 80, a Kodak chegou a tomar conta de 85% do mercado de filmes para fotografia. A chegada da câmera digital – e depois dos celulares com câmeras – reduziu de forma brusca a demanda por filmes, o que forçou a Kodak a pedir falência, demitir quase 60 mil pessoas e a implodir alguns dos prédios de sua sede, que foi parcialmente loteada e vendida para cobrir dívidas.


Mas poderia não ter sido assim. A Kodak desenvolveu a tecnologia de fotografia digital duas décadas antes das concorrentes. Com medo que isso atrapalhasse o negócio dos filmes, o projeto foi engavetado. Até que a concorrência teve a mesma ideia e a Kodak, que poderia ter chefiado a mudança, ruiu ao tampar os ouvidos para o chamado do espírito do tempo.

A lição da Kodak não foi aprendida pelo mundo corporativo. A Blockbuster, que já foi a maior rede de locadoras do mundo, lá período jurássico, teve a oportunidade de comprar a Netflix por uns trocados, mas não quis. O Yahoo poderia ter comprado o Facebook, mas preferiu não colocar a mão no bolso. E a lógica persiste em 2016, com empresas de telefonia se juntando para lutar contra o Whatsapp, que é chamado de pirataria, e empresas de TV a Cabo prometendo uma guerra contra o Netflix e outros serviços de streaming. Uma guerra perdida.

Qual a importância disso na minha vida?

O mundo muda o tempo inteiro. A situação mais estável que pudermos imaginar nada mais é que um pedaço da história, uma virgula antes da próxima mudança violenta. Numa hora dessas, quando a mudança for inevitável, pode ser melhor aceitá-la e liderá-la do que lutar contra ela. Sai melhor de uma crise quem procura um caminho próprio, único e coerente com o espírito do tempo. O problema é que nossa tendência natural é seguir o efeito manada e repetir os mesmos formatos que davam certo antes da crise chegar. Formatos que não fazem sentido mais.

Trazendo isso para o 360, há uma leitura possível: nós vimos na crise do mercado de comunicação, que começou lá trás, com o surgimento da internet, uma oportunidade. Chance de mudarmos nossas vidas, de viajarmos mais, de termos mais liberdade. A mesma coisa tem sido feita por inúmeros nômades digitais, gente que percebeu que o modelo de trabalho tradicional, criado há séculos, ainda na era da Revolução Industrial, não tem sentido mais.

Percebendo a crise que nos espreita, muita gente mudou de ramo, simplificou a vida, se jogou nas oportunidades e tratou de criar um cenário melhor. Essa escolha pode ser empreendendo, como muita gente faz, ou simplesmente tomando decisões importantes na vida pessoal. Porque sim, a crise pode ser só na sua vida pessoal. E o primeiro passo para deixá-la para trás precisa vir de você.

Tenho amigos que perderam empregos no ano passado. No meio de um cenário de incerteza, eles perceberam que conseguir outro emprego, naquele momento, seria complicado. A solução encontrada por eles foi juntar os cacos e fazer um intercâmbio, a tal sonhada viagem que era adiada há anos, justamente por conta de projetos profissionais.
Além de aproveitar a oportunidade que a vida deu, uma escolha assim oferece a possibilidade de você se reciclar, aprender outras coisas e voltar um profissional melhor. E quando o cenário talvez já tenha mudado um pouco. Segundo uma pesquisa da Associação Brasileira das Agências de Intercâmbio, a busca por cursos no exterior cresceu 600% no primeiro semestre de 2015.
Essa não precisa ser a sua escolha – e certamente nem é uma escolha possível para todos. É preciso analisar o cenário com cuidado, pensando no seu contexto e preferências. Tem quem pegue o dinheiro da rescisão e abra um negócio, seja uma franquia – outra escolha feita por muitos em tempos de crise – ou algo inovador. Tem quem mude de ramo e descubra que essa mudança era mais que desejada.
Independente de qual vai ser sua escolha, é bom ter em mente a frase do Kennedy, mesmo que a afirmação em si seja falsa. Toda crise é uma oportunidade. É possível sair dela melhor, colado ao espírito do tempo e pronto para encarar um mundo que mudou, afinal você mudou junto com ele. Ou podemos sair piores do que entramos, como a Kodak, e despreparados para viver num mundo que não entendemos mais.



segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Brasileiro vende 10 toneladas de pão de queijo por mês na Dinamarca e vai apostar nas paletas

Marcos Vinícius Ferreira ainda vende mais 2 toneladas de outros salgados, como esfirra, empada e enroladinho

Quando o brasileiro Marcos Vinícius Ferreira, de 43 anos, começou a vender pão de queijo na Dinamarca o público-alvo era o brasileiro com saudades da comida da terra natal. Isso há cerca de sete anos. Aos poucos, ele vem quebrando a barreira do hábito de consumo dos europeus e hoje vende 10 toneladas do produto por mês em 300 pontos de venda. A empresa Hr Ostebrod ainda vende mais 2 toneladas de outros salgados, como coxinha, empada e pastel.
O alimento é vendido congelado para mercados, lojas, hotéis, cafés, cantinas e creches e ainda entregue para o consumidor final. "Não é fácil. Uma coisa é você provar o pão de queijo e ficar alucinado. A outra é fazer o consumo diário do produto. Foi muito difícil e pensei em desistir várias vezes", diz.
Para 2016, a aposta do carioca é a paleta mexicana. Ele conheceu o produto na internet e viu o 'boom' que o produto teve no Brasil. "É um hábito do europeu comer sorvete em qualquer época", conta. Ferreira testou a aceitação do produto em alguns quiosques e vai iniciar os testes para desenvolver novas receitas.
História. Ferreira acredita que a veia empreendora vem de família. "Meu avô foi um homem bem sucedido. E estamos falando de muito tempo atrás onde o racismo era mais visível no Brasil. Ele venceu na área de alfaiataria, chegou a ter ternos com a marca dele e 50 funcionários. Desde cedo ele foi uma referência", lembra o empreendedor negro.
Ainda com 8 anos, na escola, Ferreira desenhava quadrinhos, um amigo escrevia as piadas, e juntos eles vendiam para os amigos. Outra situação marcante foi quando ele assistiu o filme 'A Hora do Pesadelo' e resolveu fazer uma luva do Freddy Krueger. O produto fez sucesso, um amigo, dono de um quiosque no shopping, comprou as luvas para revender e ele chegou a produzir 2,5 mil peças para enviar ao Canadá. "Teve um Natal e ano novo que sai revirando lixo para procurar lata de óleo e de achocolatado para fazer as luvas", conta.
Ferreira sempre gostou de desenhar e foi incentivado a procurar emprego como designer na época do colegial, mas não obteve sucesso. A oportunidade só apareceu quando ele se candidatou a uma vaga braçal em uma empresa de eletrodomésticos, mas o fato de saber desenhar e sua letra despertaram o interesse do empregador. "Era para eu voltar no dia seguinte com alguma coisa pronta do que eu fazia. Comprei jornal e fui na biblioteca pesquisar anúncios da empresa. Virei a noite fazendo anúncios baseados no que vi no jornal", diz.
Foi assim que ele conquistou um emprego como designer. Em sua trajetória, Ferreira ainda foi modelo e chegou a trabalhar em Portugal e Estados Unidos. Mas decidiu retomar a empresa de designer. Com dificuldades para conquistar clientes, resolveu comprar os produtos que não eram líderes de categoria no supermercado e mandar ele mesmo uma nova opção de embalagem para os donos. "Nessa brincadeira consegui mais de 350 clientes", conta.
Ferreira está na Dinamarca há nove anos. Ele casou com uma dinamarquesa que conheceu no Rio de Janeiro e resolveu mudar de país. A estratégia do Brasil de mandar novas embalagens para as empresas não deu certo na nova casa. "Fui fazer o que todo mundo fazia: limpar", conta Ferreira, que ainda trabalhou como empacotador, lavou louça em restaurante e em sorveteria.
O pão de queijo entrou na vida do empresário quando ele conheceu uma brasileira, que fazia o produto, e ele então decidiu aprender a fazer o salgado. O pão de queijo começou a fazer sucesso, ele contou com a ajuda de um amigo que trabalhava na empresa de trem da região onde moravam para fazer as entregas de AArhus até Copenhague durante as paradas nas estações. "Ele sabia o horário de todas as paradas e eu já deixava tudo agendado no dia anterior", conta.
Com o crescimento da empresa, Ferreira decidiu investir em novos produtos e mudar-se para Copenhague com a segunda mulher, Olga Somova, que é russa, cuida da contabilidade. Hoje, além da empresa de alimentação, o empresário tem uma agência de publicidade e uma consultoria.

FONTE: Estadão

domingo, 17 de janeiro de 2016

50 Cases de suce$$o pós falências e fracassos


Aqui conhecerá 50 Pessoas notoriamente bem sucedidas que falharam algumas dezenas, centenas e milhares de vezes.. Não acredita? Então me acompanhe..

50 Cases de suceo ps falncias e fracassos
Em algum algum ponto da inconsciência coletiva estabeleceu-se o mito ilusório do sucesso à moda Facebook, onde tudo parece fácil, todos são lindos e talentosos, o outro é dotado de talentos natos que mitigam todas as falhas e fracassos.
Simplesmente, um belo dia, tudo parece perfeitamente estruturado. Cria-se o arquétipo do herói, aquele advogado que não pinga, não deve, não erra, está sempre alinhado, nunca contraiu dívidas ou fracassos financeiros.
Todos os critérios sobrehumanos que criamos em nossa mente ilusória só geram mais do mesmo: mais vergonha, mais opressão, mais procrastinação, afinal, se aos heróis o sucesso é reservado, o que dizer da história que vou contar ao mundo?
Em nossa mente infantil, o fracasso não abriga homens de sucesso, como se de algum modo fosse possivel viver num laboratório chamado pré-vida, onde tudo fosse simulado para que na vida real nada desse errado... Ilusão... Ilusão... Ilusão...O maior desafio de um homem não é lidar com as perdas, mas com seu significado. E digo isso porque sei perfeitamente o que é se sentir dessa forma.Por muitos anos evitei compartilhar talentos e soluções por não me achar fantástica o suficiente! Hahaha
Pois para a maioria de nós ser bom não basta, temos que ser perfeitos, a prova de erros e fracassos.Quando comecei a estudar homens e mulheres de sucesso, inclusive os profetas biblicos, percebi que o romance só estava na minha mente infantil e isso me fez "ir com medo mesmo".
Te convido a conhecer alguns "vizinhos da grama mais verde" que também achavam a sua mais verde que a deles:)

Gurus de negócios
Estes empresários e as empresas que fundaram são hoje conhecidos em todo o mundo, mas como estas histórias mostram, suas origens não eram sempre suave. Estudantes de espírito empresarial de hoje podem aprender o que é preciso para ser bem sucedido nos negócios:
  1. Henry Ford: Enquanto a Ford é hoje conhecido por sua linha de montagem inovadora e carros de fabricação americana, ele não foi um sucesso instantâneo. Na verdade, seus primeiros negócios falharam e o faliram cinco vezes antes de ele fundou o bem sucedido Ford Motor Company. [ Nota: já imaginou a vergonha que o Henry sentia ao buscar crédito, colaboradores e matéria-prima após cada falência?]
  2. RH Macy: A maioria das pessoas estão familiarizados com este grande cadeia de lojas de departamento, mas Macy nem sempre teve vida fácil. Macy faliu 7 vezes antes de finalmente bater grande com sua loja em New York City. [ Nota: você emprestaria dinheiro a eles após a 3º falência?]
  3. FW Woolworth: Alguns podem não saber esse nome hoje, mas Woolworth já foi um dos maiores nomes em lojas de departamento em os EUA. Antes de iniciar seu próprio negócio, jovem Woolworth trabalhava em uma loja de artigos e foi considerado um funcionário mediano por não bater metas. [ Nota: você daria a gerência do seu escritório para ele?]
  4. Soichiro Honda: O negócio de bilhões de dólares que é Honda começou com uma série de falhas. Honda foi recusado pela Toyota Motor Corporation para um emprego após uma entrevista para um emprego como engenheiro, ficando em apuros por alguns meses. Ele começou a fazer scooters de sua própria em casa, e estimulada por seus vizinhos, finalmente começou seu próprio negócio.[ Nota: se você fosse CEO da Toyota estaria melhor com o Honda?]
  5. Akio Morita: Você pode não ter ouvido falar de Morita, mas você certamente já ouviram falar de sua empresa, a Sony. O primeiro produto da Sony era uma panela de arroz que, infelizmente, não cozinhava direito, vendendo menos de 100 unidades. Este primeiro revés não parou Morita e essa continuidade gerou seu império multi-bilionário. [ Nota: você acha que ele poderia se realizar se aperfeiçoasse sua panela de arroz? O que ach que o fez prosseguir? ]
  6. Bill Gates: Gates depois de cair fora de Harvard e iniciar um primeiro negócio falhou com o co-fundador da Microsoft Paul Allen chamado Traf-O-Data, mas prosseguindo criou o império global que é a Microsoft. [ Nota: você acha que ele sempre confiou em si mesmo?]
  7. Harland Sanders David: Talvez mais conhecido como Coronel Sanders de Kentucky Fried Chicken fama, Sanders teve um tempo difícil vender seu frango em primeiro lugar. Na verdade, sua famosa receita de frango segredo foi rejeitado 1.009 vezes antes de um restaurante aceitou. [ Nota: quantas vezes uma proposta de partido foi negada? Você insistiria mais 1000 vezes?]
  8. Walt Disney: Hoje a Disney fatura bilhões de mercadoria, filmes e parques temáticos ao redor do mundo, mas o próprio Walt Disney teve um pouco de um começo difícil. Ele foi demitido por um editor de jornal, porque "ele não tinha imaginação e não tinha boas idéias." Depois disso, a Disney começou uma série de empresas que não durou muito tempo e terminou com a falência e fracasso. [ Nota: já imaginou a vergonha que o Walt teve que vencer ao enviar seus projeto de novos personagens a estúdios apos suas falências? Consegue imaginar a vergonha em não poder pagar os salários dos desenhistas, alugueis, energia elétrica e alimentos? Consegue associar que esse mesmo homem construiu o maior império de entretenimento do planeta? Por acaso a dívida dele é mais celestial que a sua?]
Cientistas e Pensadores
Estas pessoas são frequentemente considerados como alguns dos maiores mentes do nosso século, mas que muitas vezes teve de enfrentar grandes obstáculos e momentos de muita vergonha.
1. Albert Einstein: A maioria de nós tomar o nome de Einstein como sinônimo de gênio, mas ele nem sempre mostram tal promessa. Einstein não falou até os quatro anos e não leu até que ele tinha sete anos, fazendo com que seus pais e professores pensassem que ele era mentalmente deficiente, lento e anti-social. Eventualmente, ele foi expulso da escola e foi recusada a admissão à Escola Politécnica de Zurique. Poderia ter levado um pouco mais, mas a maioria das pessoas concordaria que ele pegou muito bem na final, conquistando o Prêmio Nobel e mudando a cara da física moderna. [ Nota: se ele fosse seu filho e não falasse até os 4 ou lesse até os 7, você poderia se convencer e convencê-lo de que seria um gênio?]
2. Charles Darwin: Em seus primeiros anos, Darwin desistiu de ter uma carreira médica e muitas vezes foi repreendido por seu pai para ser preguiçoso e muito sonhadora. O próprio Darwin escreveu: "Eu era considerado por todos os meus mestres e meu pai, um menino muito comum, bastante abaixo do padrão comum de intelecto." Talvez eles julgaram muito cedo, como Darwin, hoje, é bem conhecido por seus estudos científicos.
3. Robert Goddard: Goddard hoje é aclamado por suas pesquisas e experimentos com foguetes de combustível líquido, mas durante a sua vida suas idéias eram muitas vezes rejeitado e ridicularizado por seus pares científicos que pensavam que eram ultrajantes e impossível. Hoje foguetes e viagens espaciais não parece exagero em tudo, em grande parte devido em parte ao trabalho deste cientista que trabalhou contra os sentimentos da época.
4. Isaac Newton: Newton foi, sem dúvida, um gênio da matemática, mas ele tinha algumas falhas no início. Aluno mediano, quando encarregado de administrar a fazenda da família, ele falhou miseravelmente, tão mal no fato de que um tio assumiu o comando e enviou-o para Cambridge, onde ele finalmente floresceu na estudioso que conhecemos hoje.
5. Sócrates: Apesar de não deixar registros escritos, Sócrates é considerado um dos maiores filósofos da era clássica. Por causa de suas novas idéias, em seu próprio tempo, ele foi chamado de "um corruptor imoral da juventude" e foi condenado à morte. [ Nota: e se você fosse considerado um corruptor pelos artigos que qui escreve ou seus eventuais erros ortográficos fossem revelados, ainda continuaria?]
6. Robert Sternberg: Este grande nome em psicologia recebeu um C em sua primeira faculdade aula de psicologia introdutória com seu professor dizendo-lhe que, "já havia uma Sternberg famoso em psicologia e era óbvio que não haveria outro." Sternberg mostrou-lhe o contrário ao se formar na Stanford com distinção excepcional em psicologia, se tornando o presidente da Associação Americana de Psicologia.
Inventores
Estes inventores mudou a face do mundo moderno, mas não sem alguns protótipos fracassados ​​ao longo do caminho.
  1. Thomas Edison: Em seus primeiros anos, os professores Edison disse que era "muito estúpido para aprender alguma coisa." Foi demitido de seus dois primeiros trabalhos por não ser suficientemente produtivos. Mesmo como um inventor, Edison fez 1000 tentativas mal sucedidas em inventar a lâmpada. Naturalmente, todas estas tentativas infrutíferas finalmente resultou na concepção que funcionou. [ Nota: você seria capaz de acreditar em si ao tentar a mesma coisa pela centésima vez? O que dizer da milionésima? ]
  2. Orville e Wright: Estes irmãos lutou contra a depressão e doença na família antes de começar a loja de bicicletas que iria levá-los a experimentar com voo. Após inúmeras tentativas de criar máquinas voadoras, de vários anos de trabalho duro, e toneladas de protótipos fracassados, os irmãos finalmente criaram um avião que pudesse decolar e ficar no ar. [ Nota: você sentaria no banco de carona desse avião?]
Figuras públicas
De políticos a apresentadores de talk show...
  1. Winston Churchill: Ganhador do Prêmio Nobel, duas vezes eleito primeiro-ministro do Reino Unido nem sempre foi assim considerada como ele é hoje. Churchill lutou na escola e não conseguiu concluir a sexta série. Depois da escola ele enfrentou muitos anos de fracassos políticos, como ele foi derrotado em todas as eleições para o cargo público até que ele finalmente tornou-se o Primeiro-Ministro na idade madura de 62. [ Nota: quem poderia te convencer que é pra você ao perder TODAS as tentativas de candidatura?]
  2. Lincoln: Embora hoje ele é lembrado como um dos maiores líderes da nossa nação, a vida de Lincoln não era tão fácil. Em sua juventude, ele foi para a guerra um capitão e voltou a privada (se você não está familiarizado com fileiras militares, só sei que é privado tão baixo quanto ele vai.) Lincoln não parou. Ele começou numerosos negócio falhou e foi derrotado em várias corridas que ele fez para o cargo público.
  3. Oprah Winfrey: A maioria das pessoas sabe Oprah como um dos rostos mais emblemáticos na TV, bem como uma das mulheres mais ricas e bem sucedidas no mundo. Oprah enfrentou uma dura estrada para chegar a essa posição, no entanto, sofrer uma infância difícil e muitas vezes abusivo, bem como inúmeros contratempos de carreira, incluindo de ser demitida de seu trabalho como um repórter de televisão, porque ela era "impróprio para tv." [ Nota: você acha que ela acreditou que era impropria para a TV? Você se sente impróprio para advocacia e para clientes ricos e bom pagadores?]
  4. Harry S Truman: Este veterinário, Senador, Vice-Presidente e Presidente eventual finalmente encontrou o sucesso em sua vida, mas não sem alguns tropeços ao longo do caminho. Truman iniciou uma loja que vendia camisas de seda. Falindo de maneira traumática
  5. Dick Cheney: Este recente vice-presidente e empresário fez o seu caminho para a Casa Branca, mas conseguiu reprovado da Universidade de Yale, não uma, mas duas vezes. Se você fosse o ex-presidente George W. Bush, o que que pensaria sobre as credenciais de Dick? "Daria sorte ao azar?
Tipos de Hollywood
Figuras bem conhecidas em todo planeta, tiveram que amargar a dor da rejeição centenas de vezes...
  1. Jerry Seinfeld: Quase todo mundo sabe quem é Seinfeld, mas a primeira vez que o jovem comediante entrou no palco em um clube de comédia, ele olhou para a platéia, congelou e acabou por ser vaiado e vaiado do palco. Seinfeld sabia que ele poderia fazê-lo, então ele voltou na noite seguinte, terminou seu set de risadas e aplausos, e o resto é história. [ Nota: se você tivesse pago 30 dolares pra rir e esquecer seus problemas, teria compaixão de alguém que não cumprisse essa promessa? Você vaiaria? Afinal, onde está o respeito ao cliente?]
  2. Fred Astaire: Em seu primeiro teste de tela, o diretor de testes da MGM observou que Astaire,"Não é possível em razão da sua aparência..."Astaire se tornou um ator completo, incrivelmente charmoso e bem sucedido, cantor e dançarino e manteve essa nota em sua casa em Beverly Hills para lembrá-lo de onde ele veio.
  3. Sidney Poitier: Depois de sua primeira audição, Poitier foi dita pelo diretor de elenco,"Por que você não para de desperdiçar o tempo das pessoas e sai e pilota uma máquina de lavar louça ou algo assim"Poitier prometeu mostrar-lhe que ele poderia fazê-lo, ganhando um Oscar e tornar-se um dos atores mais bem-visto no negócio.
  4. Jeanne Moreau: Como uma jovem atriz apenas começando, essa atriz francesa foi diagnosticada por um diretor de elenco que simplesmente não era bonita o suficiente para participar dos filmes. Ela poderia ter escutado esse infame ao inves dos 100 diretores dos filmes que participou ao continuar trilhando. [ Nota: Imagine ouvir de um juiz que não deveria ser advogada por não ter aparência condizente coma sobriedade da profissão? Isso foi dito a uma das minhas alunas afrodescendentes por ostentar um turbante em audiência...]
  5. Charlie Chaplin: É difícil imaginar que isso seja verdade, mas o filme de Charlie Chaplin, foi inicialmente rejeitado por Hollywood chefes de estúdio, porque eles sentiram que era muito diferente do mercado e não venderia
  6. Lucille Ball: Durante sua carreira, Ball tinha treze indicações ao Emmy e quatro vitórias, também ganhando o Lifetime Achievement Award do Kennedy Center Honors. Antes de estrelar em I Love Lucy, Bola foi amplamente considerado como uma atriz de terceira classe e uma estrela de cinema B.
  7. Harrison Ford: Em seu primeiro filme, Ford foi dito pelos executivos de cinema que não tinha os requisitos básicos para a função. Hoje, com inúmeros sucessos em seu currículo, representações icônicas de personagens como Han Solo e Indiana Jones, e uma carreira que se estende por décadas, a Ford pode orgulhosamente mostrar que ele faz, de fato, o que é preciso.
  8. Marilyn Monroe: Apesar de uma educação áspera e ser informado por agentes de modelagem que ela deveria buscar um emprego de secretária, seguiu seu proposito e tornou-se uma pin-up, modelo e atriz mundialmente famosa
  9. Oliver Stone: Este cineasta premiado com o Oscar começou seu primeiro romance, mas teve centenas de projetos rejeitados por motivos de mal zelo com a forma e conteudo, acreditem.
Escritores e Artistas
Todos nós já ouvimos sobre artistas consagrando-se na midia e na história, mas como nós, os bastidores não são tão poliôniocos assim...
  1. Vincent Van Gogh: Durante sua vida, Van Gogh vendeu apenas um quadro, comprado por um amigo por um valor ínfimo. Enquanto Van Gogh nunca foi um sucesso durante sua vida, por vezes, passando fome para pintar suas mais de 800 obras conhecidas. Hoje, eles valem em centenas de milhões. [ Nota: você compraria um quadro de um homem que apenas vendeu um exemplar em vida, vivendo como mendigo para manter sua arte?]
  2. Emily Dickinson: Recluso e poeta Emily Dickinson é um escritor comumente lido e amado. No entanto, em sua vida, ela foi praticamente ignorado, tendo menos de uma dúzia de poemas publicados fora de seus quase 1.800 obras concluídas.
  3. Theodor Giesel: Hoje quase todas as crianças leu The Cat in the Hat ouGreen Eggs andHam, mas 27 editoras diferentes rejeitou o primeiro livro de Dr. Seuss pensar que eu vi na MulberryStreet.
  4. Charles Schultz: Charles Monroe Schulz foi um cartunista americano, criador da série Peanuts e dos personagens Charlie Brown e seu cachorro da raça beagle chamado Snoopy, entre outros. Mesmo após o ensino médio, Schultz não teve vida fácil, sendo rejeitado ate pelo próprio Walt Disney.
  5. Steven Spielberg: Enquanto nome hoje de Spielberg é sinônimo de grande orçamento, foi rejeitado pela Universidade do Sul da Califórnia Escola de Teatro, Cinema e Televisão três vezes. Ele eventualmente freqüentou a escola em outro local, apenas para cair fora para se tornar um diretor antes de terminar. Trinta e cinco anos após o seu diploma, Spielberg voltou para a escola em 2002, para finalmente completar o seu trabalho e ganhar a BA.
  6. Stephen King: O primeiro livro deste autor, o thriller icônico Carrie, recebeu 30 rejeições, finalmente fazendo o Rei a desistir e jogá-lo no lixo. Sua esposa pescou o exemplar e encorajou-o a reenviá-lo, e o resto é história, com o rei tendo agora centenas de livros publicados, sendo um dos autores mais vendidos de todos os tempos. [ Nota: quantos artigos, teses, ideias e projetos você jogou no lixo sem ter tido um anjo pra pescar de lá?]
  7. Zane Grey: Incrivelmente popular no início do século 20, este escritor de livro de aventura começou sua carreira como dentista, algo que ele rapidamente começou a odiar. Então, ele começou a escrever, só para ver a rejeição após rejeição de suas obras, sendo dito, eventualmente, que ele não tinha nenhum talento para ser um escritor que deveria desistir, já que era um excelente dentista. Levou anos, mas aos 40, Zane finalmente conseguiu seu primeiro trabalho publicado, deixando-o com quase 90 livros para o seu nome e vendendo mais de 50 milhões de cópias em todo o mundo.
  8. JK Rowling: Rowling pode estar rolando em um monte de massa de Harry Potter hoje, mas antes que ela publicou a série de romances que ela estava quase falida, severamente deprimida, divorciado, tentando criar uma criança sozinha enquanto frequentam a escola e escrever um romance. Rowling passou de um nivel de sobrevivente a uma das mulheres mais ricas do mundo em um período de apenas cinco anos através de seu trabalho duro e determinação. [Nota: conhece alguem nessa situação? O que difere as duas?]
  9. Monet: O trabalho de hoje Monet é vendido por milhões de dólares. No entanto, durante seu próprio tempo, ele foi ridicularizado e rejeitado pela elite artística, o Salão de Paris. Monet mantido em seu estilo impressionista, que pegou e, em muitos aspectos era um ponto de partida para algumas mudanças importantes para a arte que inaugurou a era moderna. [ Nota: já se imaginou sendo ridicularizado publicamente por juristas renomados? Você insistiria?]
  10. Jack London: Este autor americano mundialemente conhecido nem sempre foi um sucesso. Enquanto ele iria passar a publicar romances populares comoWhite Fang e The Call of the Wild, sua primeira história recebeu seiscentos NÃOS antes de finalmente ser aceito.
  11. Louisa May Alcott: A maioria das pessoas está familiarizada com obra mais famosa de Alcott, LittleWomen. No entanto Alcott enfrentou uma batalha para conseguir trabalhar e foi foi encorajado a encontrar trabalho como um servo por sua família para fazer face às despesas. Foi suas cartas voltar para casa durante a sua experiência como enfermeira na guerra civil que lhe deu a primeira grande oportunidade que ela precisava.
Músicos
Enquanto hoje soa como canto dos pássaros, um dia foram ouvidos como algo medíocre...
  1. Mozart: Mozart começou a compor aos cinco anos de idade, escrevendo mais de 600 peças de música que hoje são louvados como alguns dos melhores do planeta. No entanto, durante sua vida, Mozart não tinha momentos fáceis, e muitas vezes era inquieto, levando a sua demissão a partir de uma posição como um músico da corte em Salzberg. Ele lutou para manter o apoio da aristocracia e morreu com pouquissima honraria
  2. Elvis Presley: Como um dos artistas mais vendidos de todos os tempos, Elvis tornou-se um nome familiar mesmo anos após sua morte. Mas em 1954, Elvis ainda era um ninguém, e Jimmy Denny, gerente do Grand Ole Opry, despediu Elvis Presley após apenas um desempenho dizendo-lhe:"Você não está indo a lugar nenhum, filho. Você deveria voltar para o volante do caminhão."
  3. Igor Stravinsky: Em 1913, quando Stravinsky estreou sua famosa agoraSagração da Primavera, o público se revoltaram, correndo o compositor fora da cidade. No entanto, foi este mesmo trabalho que mudou a forma como compositores no século 19 pensava sobre música e cimentou o seu lugar na história musical.
  4. Beatles: Poucas pessoas podem negar o poder duradouro deste grupo, ainda popular com os ouvintes em todo o mundo de hoje. No entanto, quando eles estavam apenas começando receberam várias portas na cara. Sua musica era dita como inaceitável para época e pouco comercial...
  5. Beethoven: Em seus anos de formação, o jovem Beethoven foi incrivelmente estranho no violino e foi muitas vezes tão ocupados trabalhando em suas próprias composições que ele se recusou a praticar. Apesar de seu amor de compor, seus professores sentiram que era impossível para ele e nunca teria sucesso com o violino ou na composição. Beethoven se protegeu sua visão e compôs várias das mais belas melodias do planeta enquanto ele estava completamente surdo.
Atletas
Aqui se separam os homens dos meninos...
  1. Michael Jordan: A maioria das pessoas não iria acreditar que um homem muitas vezes elogiado como o melhor jogador de basquete de todos os tempos foi realmente cortado do time de basquete da escola. Felizmente, Jordan não deixou que este revés o impedisse de jogar o jogo e ele declarou:"Eu perdi mais de 9.000 tiros na minha carreira. Eu perdi quase 300 jogos. Em 26 ocasiões me foi confiado para levar o jogo ganhar tiro, e eu perdi. Eu falhei uma e outra e outra vez na minha vida. E é por isso que eu consegui. " [ Nota: Você continuaria tentando apos 300 causas perdidas?]
  2. Stan Smith: Este jogador de tênis foi rejeitado, mesmo sendo um menino bola humilde para uma partida de tênis da Copa Davis, porque os organizadores do evento sentiam que ele era muito desajeitada e descoordenada. Smith passou a provar que eles estavam errados, mostrando suas habilidades não tão desajeitados ao vencer Wimbledon, US Open e oito Copas Davis.
  3. Babe Ruth: Você provavelmente sabe Babe Ruth por causa de seu registro home run (714 durante sua carreira), mas junto com todos aqueles home runs veio uma quantidade bastante robusta de strikeouts, bem como (1.330 ao todo). Na verdade, há décadas, ele detinha o recorde de strikeouts. Quando perguntado sobre isso, ele simplesmente disse:" Toda greve me aproxima para a próxima corrida em casa. "
  4. Tom Landry: Como o técnico do Dallas Cowboys, Landry trouxe a equipe duas vitórias do Super Bowl, cinco vitórias NFC Championship e detém os recordes para o recorde de vitórias a mais carreira. Ele também tem a distinção de ter uma das piores primeiras temporadas no registro (vencedoras sem jogos) e vencedoras cinco ou menos ao longo dos próximos quatro temporadas.

Note que o que te afasta do seu estilo de vida desejado [vida e trabalho IDEAIS] está 100% em sua mente e nas histórias que você repete a si mesmo todos os dias.